PC prende cinco acusados de fazer esquema de compra de votos

A operação policial foi deflagrada após recebimento de denúncias sobre o ilegal aliciamento de eleitores no município, sob a promessa de vantagem financeira

eleicao

Policiais civis da Divisão Especial de Investigações e Capturas (Deic), coordenados pelo Delegado Mário Jorge Barros, deflagraram uma ação na noite desta terça-feira (27), e prenderam cinco pessoas acusadas de crime eleitoral na região do Litoral Norte do Estado.

José Geraldo Rocha Peixoto, José Hildo da Silva, conhecido como “Adeildo”, Layane Maria Vitor, Jakeline Ferreira da Costa e Maria José da Silva Modesto, foram detidos pela prática de compra e venda de votos na Barra de Santo Antônio.

A operação policial foi deflagrada após recebimento de denúncias sobre o ilegal aliciamento de eleitores no município, sob a promessa de vantagem financeira.

Segundo as investigações, trata-se de pessoas cadastradas como eleitores de um candidato, e que votariam mediante pagamento do valor de R$ 250,00.

No momento da abordagem policial foi apreendido aproximadamente R$ 4.000,00 em espécie, santinhos, materiais de campanha e uma lista de eleitores contendo nome, zona eleitoral, número do título, entre outras informações.

Durante a ação que foi comandada pelo delegado Mário Jorge Barros, os policiais civis também detiveram Romildo Cavalcante de Araújo, o “Milton”, que estava fazendo a segurança do grupo, utilizando ilegalmente um revólver calibre 38.

“Recebemos a denúncia e prontamente verificamos a procedência, atendendo a determinação do delegado-geral, Paulo Cerqueira, o qual incumbiu a Deic de prestar apoio a Polícia Federal, e demais órgãos de combate a fraudes eleitorais. Sendo assim, constatamos a veracidade das informações e efetuamos as prisões dos responsáveis”, disse o delegado Mário Jorge.

De acordo com o delegado Guilherme Iusten, que coordenou a lavratura dos autos de prisão em flagrante, os presos pagaram fiança e foram liberados, mas todo o material apreendido juntamente com o procedimento será encaminhado à Justiça Eleitoral e a Polícia Federal.

Ana Karina – pc.al

28/09/16

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


Deprecated: Directive 'track_errors' is deprecated in Unknown on line 0