Número de acidentes envolvendo bicicletas é alto no interior

Hospital de Emergência Daniel Houly atendeu 1.146 pacientes vítimas de acidentes somente no ano passado

ce951d72f5f4fcf2890b2a2032e373fd_L
Os traumas mais comuns são fraturas dos membros superiores e inferiores. Adalberto Custódio

A bicicleta, que para alguns representa uma ferramenta de lazer ou simplesmente para auxiliar na manutenção da forma física, para outros serve como meio de transporte diário. Apesar de sua aparência inofensiva, quando comparada às motocicletas, ela tem sido responsável por diversos acidentes no interior do Estado, em alguns casos com vítimas fatais.

 0604_TRAUMAS

É o que mostram as estatísticas do Hospital de Emergência Daniel Houly (HEDH) de Arapiraca que, somente no ano passado, atendeu a 1.146 pacientes vítimas de acidentes envolvendo bicicleta. Deste total, 65 sofreram lesões graves, que resultaram em cirurgias ou internações. Quatro pessoas não resistiram à gravidade dos ferimentos e acabaram falecendo no hospital.

Diante dessas estatísticas, vale salientar que os ciclistas nem sempre são vítimas. Em alguns casos, eles são os causadores dos acidentes, por desobedecerem às regras básicas do trânsito ao circularem na contramão, cruzarem o sinal fechado ou andarem em calçadas e passeios públicos.

As quedas são os tipos de acidentes mais comuns. Somente em 2015, o hospital atendeu 853 pacientes por este motivo. Em segundo lugar vieram as colisões entre bicicletas e motocicletas (190 ocorrências) e as colisões entre bicicletas e carros, com 68 ocorrências.

Os traumas mais comuns nestes tipos de acidentes geralmente acometem os membros superiores e inferiores, a exemplo de fraturas nos braços, pernas e úmero. Nos casos mais graves, as vítimas sofrem traumatismo craniano encefálico, o chamado TCE, que pode deixar sequelas para o resto de suas vidas.

Em 2016, os números infelizmente seguem a mesma tendência de 2015. Somente no primeiro trimestre deste ano, o Hospital de Emergência Daniel Houly atendeu 227 pacientes vítimas de acidentes com bicicletas.

O auxiliar de Serviços Gerais, José Carlos, foi uma vítima. Ele sofreu fratura na tíbia (osso da perna) após cair da bicicleta. O jovem, de apenas 25 anos, estava indo para o trabalho e admitiu ter sido o culpado do próprio acidente. “Eu vinha rápido demais e acabei perdendo o controle da bicicleta após o pneu passar em um bolo de areia acumulado próximo ao meio fio”, disse o rapaz.

Adalberto Custódio – Agência Alagoas


Deprecated: Directive 'track_errors' is deprecated in Unknown on line 0