Foragido da justiça alagoana é preso no Maranhão

“Alex Dinga” é acusado de participação em crime de dona de casa, em 2013, no município de Quebrangulo

PRESO-NO-MARANHÃO-696x522
Alexandro Araújo Barros, o “Alex Dinga”.

Um homem acusado de participação de um crime de homicídio, acontecido na cidade de Quebrangulo, em 14 de março de 2013, foi preso nesta quinta-feira (19) no município de Afonso Cunha, no estado do Maranhão.

Alexandro Araújo Barros, o “Alex Dinga”, foi localizado após o delegado da cidade, Sidney Tenório, ter recebido informações de que um foragido da justiça alagoana estaria naquele município maranhense.

O delegado revela que, após diligências, Alexandro foi encontrado e detido. Ele estava trabalhando como motorista de carro-pipa e, antes de se esconder em Afonso Cunha, passou um tempo em São Paulo.

“Alex Dinga” é acusado de ter participado da morte da dona de casa Maria das Graças Ferreira da Silva Alves, executada com um tiro na nuca.

Na época, segundo o delegado de Quebrangulo, Itamar Uchoa, ele chegou a ser preso, com um grupo de pistoleiros, também envolvidos no caso.

Itamar Uchoa manteve contato com o delegado de Afonso Cunha, Sidney Tenório, e deverá providenciar, junto à Delegacia Geral da Polícia Civil, a transferência do preso para Alagoas.

A prisão dos pistoleiros responsáveis pela morte da dona de casa, ocorrida no município de Quebrangulo, evitou a execução de pelos menos outros três assassinatos.

O delegado Itamar Uchoa explica que os pistoleiros Sonival Apolinário de Lira Filho, 27 anos, e Carlos Eduardo Queiroz Silva, 29, o “Dudu”, apontados como autores materiais do crime, se preparavam para matar o pai e uma filha dela, Vanessa, de 14 anos, quando foram presos na cidade de Arapiraca, em 23 de março de 2013.

As investigações apontaram que a morte de Maria Alves foi encomendada pela família do ex-marido da vítima, de nome Salatiel, que cometera suicídio meses antes.

Segundo o delegado, tudo começou 1 ano antes do assassinato, quando o casal se separou e iniciou-se a disputa pela divisão de bens. As brigas se arrastaram por meses e Salatiel acabou se matando, tocando fogo no corpo.

A família dele culpou Maria Alves pelo suicídio e se apossou dos bens do casal. Ao mesmo tempo, teriam iniciado os planos para executar a mulher.

Na noite do dia 14 de março daquele ano, a vítima foi até a casa da avó, localizada na Rua 15 de Novembro, no Centro de Quebrangulo, quando foi morta com um tiro na nuca, no momento em que estava sentada na sala da residência, assistindo novela.

As investigações esclareceram que um Golf, branco, usado pelos pistoleiros era dirigido por um rapaz conhecido por “Alex Dinga” que, durante depoimento, confessou sua participação no crime. Além do Golf, também foi usado um Fiat Uno, branco, que dava cobertura aos pistoleiros.

Além de Alexandro Araújo Barros, foram presos o sogro da vítima, Manoel Alves da Silva, 73 anos, a cunhada Sirlene Alves Nunes Ferreira, 34 – apontados como mandantes;  e os pistoleiros Sonival e Eduardo (autores materiais).

Um homem identificado como Jojefferson Mandu da Silva, 26 anos, o “Jefinho” – responsável pela intermediação da trama e contratação dos executores do assassinato – foi igualmente preso na cidade de Arapiraca.

 Jaime Feitosa – Ascom PC


Deprecated: Directive 'track_errors' is deprecated in Unknown on line 0