AL recaptura 27 dos 33 presos que fugiram do sistema prisional em 2016

Dessa quantia, 5 morreram em confronto com a PM, diz secretario da Seris. Durante reunião nesta quarta foi mostrado o panorama do sistema prisional.

Das 33 fugas registradas no Sistema Prisional de Alagoas no ano de 2016, 27 reeducandos foram recapturados e cinco foram mortos em confronto com a polícia. A informação foi divulgada na manhã desta quarta-feira (21) pelo secretário de Estado de Ressocialização e Inclusão Social (Seris), o tenente-coronel Marcos Sérgio Freitas, em uma reunião onde foi mostrado o panorama de ações da secretaria neste ano.

Segundo o chefe especial de penitenciárias do estado, José Antunes de Oliveira Neto, a Seris tem investido em tecnologia, aperfeiçoamento do sistema de revista e capacitação dos agentes, “Na capital há um processo de aquisição de bloqueadores de celulares. No do presídio do Agreste, localizado em Girau do Ponciano, já existe esse sistema”, explica.

Sobre como os celulares e drogas que entram nos presídios, Oliveira Neto explicou que a maior parte dos ilícitos entram pelas visitas e a outra parte é jogada sobre o muro do sistema, “Neste ano, 20 mulheres foram autuadas por tráfico por tentarem entrar com drogas no presídio”, disse.

Ressocialização
A gerente de Reintegração Social, Shirley Araújo relatou que 1.159 vagas de empregos para reeducandos estão abertas devido aos 27 convênios celebrados com várias empresas. “Estamos com 514 vagas preenchidas. Porém, não alcançamos preenchimento total porque tem toda uma seleção para encaminhá-lo as empresas. No entanto, temos ainda como fator favorável a baixa reincidência em crime dos reeducandos que estão trabalhando. Em 200 apenas 2% voltaram a cometer delitos”, relatou.

Sobre o monitoramento eletrônico, o gerente Fonseca disse que Alagoas é uma das pioneiras na aplicação do sistema.

“Com o monitoramento há a diminuição do número de crimes e da superlotação. Um outro avanço conquistado foi a aquisição de 50 dispositivos de botão de pânico para a violência doméstica, que já estão disponíveis.

A tornozeleira fica com o agressor e o dispositivo com a vítima. Quando há a aproximação do agressor acusa no sistema”, falou.

Educação
Em 2016, 240 reeducandos tiveram a oportunidade de estudar regularmente nas unidades prisionais da capital e do interior.

De acordo com a gerente de Educação Andréia Rodrigues, em 2017 a Seris planeja obter avanços na área da educação, levando mais alunos para as salas de aula e ampliando o acesso ao nível superior nas prisões.

“Temos reeducando cursando ensino superior e a distância. Somos referência no país em termos de organização e atendimento para o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). Esse ano tivemos mais de 75% deles realizando as provas”, explicou Andréia.

g1

22/12/2016

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


Deprecated: Directive 'track_errors' is deprecated in Unknown on line 0