ADEMI e SENAI instalam primeira turma do Projeto Construir

Com a presença do presidente da entidade Paulo Malgueiro o evento ocorreu no SENAI do Distrito Industrial

{7e121fa1_168d_4ab0_9e62_56ae183a9216}_img_6384
David Melo dos Santos, instrutor do SENAI durante a primeira aula

O Presidente da ADEMI-AL, Paulo Malgueiro, participou, na manhã desta terça-feira, 1º de junho, da aula inaugural do Projeto Construir, na unidade do SENAI Napoleão Barbosa, no Distrito Industrial Luiz Cavalcante.

O objetivo do Projeto Construir é a inclusão de pessoas com deficiência no mercado de trabalho da construção civil. Nesta etapa há duas turmas, uma matinal, outra à tarde, totalizando quase meia centena de participantes.

Paulo Malgueiro destacou essa iniciativa da construção civil que visa abrir oportunidades para pessoas com algum tipo de deficiência para ingressarem no mercado de trabalho do setor. “A ADEMI tem várias iniciativas sociais no seu dia a dia e esta é mais uma ação de responsabilidade social de nossa entidade”, declarou.

O instrutor do SENAI David Melo dos Santos disse que o curso vai capacitar pessoas em especialidades como encanador e instalador predial. “O objetivo é treinar pessoas que estão afastadas de suas funções ou que têm alguma incapacidade”, explicou.

{39b3e26c_f041_471f_899f_028aeaf76110}_img_6377

Volgam Santos, de São Luís do Quitunde, tem 27 anos e é auxiliar de topógrafo. Está desempregado desde que a empresa na qual trabalhava encerrou suas atividades em Alagoas. Ele tem deficiência visual (monocular) e algum conhecimento de eletricidade. “Espero com esse curso melhorar minha qualificação para ingressar no mercado de trabalho”, observou.

Lya Ayres, com deficiência auditiva, é uma das participantes do curso. Ela trabalha atualmente numa loja de informática e vende bolo de rolo. “Acho que vou puder melhorar minha qualificação profissional”, estima. Fátima Silva Santos, de 30 asnos, tem também deficiência monocular, como Volgam Santos e quer ser uma profissional especializada da construção civil.

Os selecionados, além de ganharem uma bolsa no valor de meio salário mínimo, com todas as garantias trabalhistas, a exemplo do 13º salário, não perderão o Benefício da Prestação Continuada da Lei Orgânica da Assistência Social (BPC/LOAS). Será uma renda extra.

Os Programas de Qualificação Profissional serão dois de Aprendizagem Industrial Básica em Processos Construtivos e um de Aprendizagem Industrial de Nível Técnico de Segurança do Trabalho, ambos com 1.920 horas.

O Projeto Construir tem apoio do SENAI, ADEMI, Sinduscon, da Superintendência Regional do Trabalho e Emprego (SRTE) e do INSS.

Ascom


Deprecated: Directive 'track_errors' is deprecated in Unknown on line 0